Notícias

Acompanhe as últimas notícias sobre direito e a atuação do 26º Tabelionato de Notas.

Veja como é fácil agendar o seu ato digital

Você já pode fazer escrituras, procurações e atos notariais à distância, da sua casa ou celular. Os atos têm a mesma fé pública que garante a segurança dos seus atos pessoais e de sua empresa. Veja os atos que podem ser feitos, se...

Saiba mais


Convenção de condomínio: o que é e como formalizar

Você já ouviu falar em escritura pública de convenção de condomínio? Esse documento, formalizado em Tabelionato de Notas, deve ser feito para formalizar as regras estipuladas para conduzir o trabalho do síndico e a convivência dos condôminos.

Saiba mais

Doação de bens: conheça suas vantagens

Fazer o planejamento sucessório é ideal para deixar os bens aos herdeiros de forma segura, econômica e tranquila. Uma das formas de destinar a posse dos bens ainda em vida é com a escritura de doação de bens, feita em Tabelionato de Notas.

Saiba mais

O que é a procuração em causa própria?

A procuração é o instrumento pelo qual uma pessoa nomeia outra como seu representante, para agir em seu nome em determinada situação. Quem concede os poderes é denominado outorgante e quem os recebe outorgado. A opção pode ser utilizada sempre que o outorgante não puder comparecer a um ato importante, como assinaturas de contratos, entregar ou receber documentos, transações bancárias e até mesmo para casamento ou divórcio.

Saiba mais

Alienação fiduciária: a garantia de aquisição de um bem móvel ou imóvel por financiamento

A alienação fiduciária em garantia consiste na transferência feita pelo devedor (fiduciante) ao credor (fiduciário) da propriedade resolúvel e da posse indireta de um bem móvel ou de um bem imóvel, como garantia de seu débito, resolvendo-se o direito do adquirente com o adimplemento da obrigação, ou seja, com o pagamento da dívida garantida.

Saiba mais

Inventário e partilha extrajudiciais são possíveis mesmo com testamento

O inventário é o documento pelo qual se faz a apuração do patrimônio deixado por uma pessoa falecida. A partilha é a consequência do inventário, ou seja, a divisão do patrimônio do falecido entre seus herdeiros e cônjuge, se houver, que foi apurado no inventário.

Saiba mais