Jornal do Notário: Consciência coletiva faz a diferença

O método Covey reúne 7 atitudes por meio das quais é possível obter melhores resultados em equipe

Para contribuir para o meio em que se atua, é preciso se superar e ser maduro como indivíduo.

Essa foi a diretriz que fez com que “os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” ficassem conhecidos no mundo. Criado pelo consultor, empresário e escritor Stephen Covey, o método Covey, também chamado de “os 7 hábitos”, é uma técnica organizada com 7 atitudes para um indivíduo, uma equipe ou uma organização desenvolverem a capacidade de gerar resultados sinérgicos e coletivos.

De acordo com Marco Imperador, administrador de empresas, escritor e consultor de áreas de liderança, foco pessoal, gestão de tempo, de equipe e de projetos, esse é um processo de ação e conseqüência que deve ser adotado na ordem sugerida (do primeiro ao sétimo), pois a adoção de um hábito promove e facilita o próximo.

As propostas do método são desenvolver a maturidade interdependente, que visa ao benefício mútuo de todos os envolvidos, e estimular as pessoas a contribuírem, indo muito além do que somente são obrigadas a fazer. “É fundamental que o profissional, primeiramente, dê-se conta de suas próprias tarefas, do contrário ele poderá desejar contribuir para o outro sem ter feito bem o que precisava fazer em relação às próprias responsabilidades”, alerta Imperador, que também é sócio fundador da ZAIOM Brasil Franquias. Para entender melhor, basta imaginar a situação rotineira dentro de um avião. O comissário de bordo explica que, se algum acidente ocorrer, o passageiro deve primeiro colocar a máscara em seu rosto para depois ajudar o próximo.

Nos cartórios

A metodologia de Covey pode ser adotada nos cartórios. A noção de começo, meio e fim na condução das responsabilidades do próprio funcionário é pré-requisito para se pensar em ajudar o colega de trabalho. “O primeiro passo é conscientizar-se de que a contribuição pode fazer a diferença”, afirma o consultor, que já aplicou a metodologia em mais de duas mil empresas, treinando mais de cem mil profissionais. “A atitude independente, que leva as pessoas a fazerem somente o que é de sua responsabilidade, estabelece limites muito rasos de qualidade nos serviços e acaba corrompendo também os relacionamentos”, complementa. Para reduzir a atitude competitiva, a sugestão é desenvolver iniciativas de reconhecimento e premiações à equipe.

Outro ponto importante a ser considerado no ambiente profissional é o fator tempo. Para evitar retrabalho ou dedicação desnecessária a uma determinada tarefa, é preciso saber analisar o que é realmente urgente e prioritário dentro de uma escala de atividades.

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes (confira no quadro) podem ser aplicados em qualquer empresa, independentemente do porte ou segmento, pelo fato de o programa trabalhar aspectos humanos, não técnicos, de produtividade e resultados em equipe.

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes

1 Seja proativo.

2 Comece com o objetivo em mente.

3 Primeiro o mais importante.

4 Pense ganha-ganha.

5 Procure primeiro ouvir para depois ser ouvido.

6 Crie sinergia.

7 Afine o instrumento.

Fonte: Jornal do Notário. Pág. 30.